outubro 27, 2008

O povo escolheu, está escolhido.

Lamento, Salvador.

perdemos uma grande chance.

chegou a hora de gritar:

outubro 26, 2008

SAI JOÃO!!!

É AMANHÃ!

outubro 25, 2008

Eu e uns amigos combinamos um “dever de casa” até amanhã: ‘converter’ votos de joão, brancos e nulos para votos em Pinheiro – 13. Não é difícil. vai depender mais do grau de diálogo/ teimosia que tenha a pessoa com quem conversamos. Algumas “chaves” nesse debate, pra mim, são:

– o que joão fez de bom em quase quatro anos? isso refletiu positivamente na cidade? que proposta inovadora ele nos deixou para Salvador se tornar melhor daqui pro futuro?

– você gosta da prefeitura dele? E, se não gosta, por que insiste?

– “em que cidade você vive?” – porque se você está gostando, ou não é Salvador, ou você se contenta com muito pouco.

– a população de Salvador precisa ter coragem de assumir o voto pelo novo. já vimos que joão não  dá  certo. temos que ter coragem e optar por trocar o que não funciona.

A gente faz parte deste sistema quer queira ou não; temos de tomar uma postura. O que quer que a gente faça tem efeitos, conseqüências. Nas eleições, isso ganha significado especial e participar – do jeito que a gente puder – do processo é uma grande demonstração de cidadania. É a democracia que se fortalece.

Eu escolhi falar.

Fale também. Converse com seus amigos, seus parentes, seus vizinhos. E peça a eles que multipliquem as palavras, cada um em seus próprios círculos. Diga que participar é bom. Ajuda na definição dos caminhos. A gente só tem a ganhar!

Vamos no corpo a corpo, na conversa, no entendimento. Do jeito que está não dá pra continuar. E vamos – nós, o povo – vencer essas eleições!

JOÃO DE NOVO – NÃO!!!

debate

outubro 25, 2008

O último debate acabou há pouco. Não quero fazer muitos comentários. Falta apenas 1 dia para a decisão e sei que até lá não dá tempo de comentar tudo o que eu queria. Mas não vou deixar de sublinhar algumas coisas e, se o papo andar nos comentários, desenvolvemos o assunto.

– joão se enrolou naquela postura arrogante que lá ele geddel e cia inventaram pra ele. gaguejou, esqueceu pergunta, saiu de si, destemperou-se, foi chamado à atenção pelo mediador, engoliu em seco e não responder nem se fala… teve um momento em que pareceu não ter o que perguntar (quando o tema indicado no sorteio foi “desenvolvimento econômico”): me saiu com um ridículo “quais as suas propostas na área que nós não estejamos fazendo?”. isso é pergunta que se preze? bem feito: tomou um “banho” de Pinheiro sobre o que alavanca o crescimento de uma cidade e as ações que ele já executa neste sentido em prol de Salvador desde o congresso. não teve o que dizer;

– joão aliviou bastante o tom das críticas ao governo. falou o nome de Wagner pelo menos quatro vezes (que eu me ative) em boa situação, reconhecimento da atuação do governo até;

– questionado sobre a situação da (inexistente) rede de creches da cidade, joão tentou enrolar mas consentiu no silêncio que não construiu nenhuma creche em seu mandato – por mais que as mães lhe peçam -, não elaborou política para elas e, ainda por cima, prometeu elevação de recursos de R$ 200 mil para R$ 1 Mi e não fez;

– tomou outro “banho” quando a questão tratada foi CULTURA. pra começo de conversa porque não tem um plano. depois porque Pinheiro não só o tem como entende do assunto e ainda é apoiado por profissionais e organizações da área. joão mostrou que não entende nada disso (o que já sabíamos e ele vaticinou com a retirada das pedras portuguesas da Barra).  tratou como se “restauro” de prédio fosse política cultural verdadeira e citou que o “Forte São Marcelo” recebeu o título da revista quatro rodas de melhor restauro (eu, aliás, não entendi até hoje porque só pintou a metade). dessa questão ele saiu humilhado;

– o jeito “robótico” dele falar em Deus é patético;

– fico me perguntando sobre o perfil de quem cai na sua lábia. será que não fica clara no debate as diferenças entre os dois? será que as pessoas não vêem que joão é um bonecão?

Nesse debate, os “engasgos” foram mais coerentes com o joão verdadeiro, o desequilibrado.

O que joão fez por você, menino?

NADA.

pra começo de conversa

outubro 24, 2008

Por acaso alguém acha a (indi)gestão de joão boa?

Tou perguntando “boa”, não ótima. Porque nem isso ele conseguiu.

Quem, por (des)ventura, achar que sim, me diga:

– QUE AÇÃO joão FEZ PARA MELHORAR/ ACELERAR/ INOVAR O DESENVOLVIMENTO DA CIDADE? ele só fez mexer no que já existia. às vezes para piorar. nenhuma idéia nova. Alguém arrisca dizer qual foi o “MARCO” de sua prefeitura? sem piadas, por favor [risos].

– –

Notícia de hoje: das 100 cidades mais influentes entre os principais países emergentes do mundo figuram algumas brasileiras. Recife, de porte semelhante a Salvador, está lá em 65º lugar. Salvador não está. NÃO APARECE!

Você pode até discordar – afinal, essas pesquisas são pra isso mesmo. Mas que nos dá “indícios”, dá sim.

outubro 24, 2008

esse pessoal que cola coração amarelo por aí não tem memória, não?!

outubro 24, 2008

joão mente.

joão não respeita Salvador.

joão não respeita você.

Eu não aceito este ultraje.

Você aceita?

manifesto

outubro 24, 2008

Manifesto de Apoio 22/10/2008
Os Engenheiros, Urbanistas, Arquitetos, Geógrafos, Geólogos, Técnicos Industriais, Profissionais do Desenvolvimento Urbano e Militantes da LUTA PELA REFORMA URBANA EM SALVADOR, apoiamos a candidatura de WALTER PINHEIRO PARA PREFEITO porque ele defende pontos fundamentais para construção de uma cidade mais digna, justa e democrática:

1 – Implementação imediata do Conselho das Cidades em Salvador, eleito na 3ª Conferência das Cidades, e integração com as políticas e o planejamento metropolitanos;

2 – Integração com as políticas públicas Urbanas de habitação, saneamento ambiental, mobilidade e transporte urbano no âmbito federal, estadual e municipal;

3 – Consolidação do Sistema Municipal de Habitação de Interesse Social, com plano municipal, fundo e conselho gestor, de forma integrada com o Sistema Nacional de Habitação;

4 – Implantação dos instrumentos urbanísticos que garantam a habitação de interesse social e o acesso à terra urbanizada;

5 – Aplicação dos instrumentos urbanísticos e jurídicos para regularização fundiária de áreas ocupadas por famílias de baixa renda, garantindo a função social da propriedade;

6 – Valorização e fortalecimento dos profissionais de Engenharia, Arquitetura e Desenvolvimento Urbano da estrutura municipal para atendimento às necessidades de moradia da população de baixa renda na cidade de Salvador e ampliação dos equipamentos públicos de assistência técnica e social nos bairros populares;

7 – Proposição da Lei Municipal de Assistência Técnica, que garantirá atendimento público e gratuito à população para acesso à habitação de interesse social e a programas que garantam assistência técnica aos movimentos sociais e a cooperativas/associações de moradores;

8 – Ampliação do cadastro municipal para atendimento pelo Programa Bolsa Família, do Governo Federal, e transparência e controle social sobre os critérios de cadastro dos beneficiários atendidos pelos programas municipais, assim como a implantação de Projetos de Renda e Cidadania;

9 – Adesão à Proposta de Emenda Constitucional (PEC 285/2008), que prevê a destinação obrigatória de 1% do orçamento municipal para o Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social;

10 – Articulação do planejamento integrado com as ações na Região Metropolitana e no Recôncavo, que garantam o saneamento ambiental na cidade de Salvador, incluindo as ilhas e a Baía de Todos os Santos;

11 – Articulação de Políticas Públicas voltadas para a melhoria e o acesso ao transporte coletivo urbano e à mobilidade na cidade, com garantia de acessibilidade às pessoas com deficiência;

12 – Integração com o programa de requalificação do Centro Antigo, com ênfase para o fomento à habitação de interesse social;

13 – Revisão do PDDU de Salvador com participação da Sociedade Civil na sua discussão;

14 – Acompanhamento permanente e democrático das obras grandes obras estruturantes para a cidade, especialmente as financiadas pelo Programa de Aceleração do Crescimento – PAC.

prefeito pinóquio

outubro 24, 2008

Coube à vice Lídice da Mata a melhor alcunha da noite do comício em Periperi. Chamou o candidato à reeleição de “prefeito pinóquio”. E justificou: “Ele disse que cada centavo que colocasse no centro de Salvador, iria colocar três vezes mais aqui no Subúrbio. Gastou R$ 36 milhões na Centenário, onde foi que ele botou R$90 milhões em obras aqui no Subúrbio?”.

o sobrenome de joão é MENTIRA.

é isso que você quer?

outubro 24, 2008

2 do Tempo Presente de hoje

outubro 24, 2008

Duas notinhas da coluna tempo presente de hoje:

– a primeira nos lembra que joão é mesmo chorão e titio geddel (lá ele!) esqueceu que falar nisso pode ser um problema.

– desta segunda eu tenho a perguntar: você acha mesmo que joão vai confirmar, que vai transformar isso em depoimento?. a acusação que ele fez foi das coisas mais baixas que já vi nessa campanha. uma jogada política das mais levianas e escrotas. e olhe que não foram poucas baixarias promovidas pelos quinzes. queria mesmo é que esses processos dessem em alguma coisa.

Pesquisa

outubro 24, 2008

passeando pela internet…

Ceci Alves, do A Tarde


O documento “Manifesto de Apoio do Campo Cultural a Pinheiro e Lídice”, que funciona como um abaixo-assinado do qual já consta cerca de 300 assinaturas – entre elas o do ministro da Cultura, Juca Ferreira, e do secretário da Cultura do Estado, Márcio Meirelles –, foi a primeira tentativa de trazer a discussão sobre políticas públicas para a cultura  à campanha de sucessão e à pauta social.

O texto, com 13 propostas na área da cultura, açambarca pontos de contatos entre os dois lados da sucessão municipal no tocante à área cultural. Dentre os mais comentados estão a necessidade da criação de uma secretaria municipal de cultura; o aumento considerável da dotação orçamentária para a pasta, que, hoje, gira em torno de 0,14%; e a instalação de um conselho municipal de cultura.

De posse desta pauta reivindicatória, A TARDE fez perguntas aos prefeituráveis. Apenas Walter Pinheiro respondeu em tempo hábil para a publicação no jornal impresso. A íntegra das entrevistas dos dois candidatos pode ser vista no A TARDE On Line (www.atarde.com.br).

O candidato do PT é favorável à criação da secretaria: “Assumimos este compromisso. Precisamos dotar o poder público de condições adequadas para formular e implementar políticas, captar e bem utilizar recursos para o desenvolvimento cultural”. Sobre o aumento da dotação orçamentária, Pinheiro diz que será “significativo”. “Haverá maior captação de recursos estaduais e federais”, coloca.

sabe porque joão demorou de responder? porque não tem proposta pronta. alguém duvida?

A Grande Família

outubro 21, 2008

o cinismo desconhece

outubro 21, 2008

Como assim "desconhece"??

Como assim"desconhece"?

A notícia é da coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde de hoje. Na seção de política, a matéria que comenta o fato cita que o Luiz Eugênio apresentou cópia do documento em que informa o prefeito. Como o prefeito pode desconhecer isso? Simples: joão tem sido cada dia mais cínico. Suas falas e sua campanha se baseiam cada dia mais nisso. Em mentira, enrolação e cinismo. E quando acuado pelos problemas de sua gestão, culpa “os outros”.

A culpa nunca é sua, joão? Que prefeito é você?

"desequilibrado" e "boneco de ventriloco"

joão carneiro: "desequilibrado" e "boneco de ventríloco"

salário dos servidores

outubro 21, 2008

Notícia de hoje: a Prefeitura vai antecipar o pagamento dos salários dos servidores municipais. Por que será?

Concorrer com a máquina na mão é bom, né, joão?!

Na tarde de 30 de setembro deste ano (há menos de um mês), uma série de grupos e associações respeitadas de Salvador se reuniram no auditório do Ministério Público, em Nazaré. A intenção era debater a situação da cidade e o descaso das autoridades em relação a Salvador. Um movimento legítimo, sem caráter político-partidário, a que denominaram “Movimento Vozes de Salvador”, com representantes ambientalistas, associações culturais, grupos comunitários, religiosos, agremiações profissionais diversas, urbanistas, pesquisadores, organizações não-governamentais, entidades de bairro, dentre outros.

Seguem alguns recortes da Carta Manifesto elaborada por eles. A íntegra pode ser encontrada em diversos sites na internet (uma rápida busca no google demonstra isso). Decidimos linkar a página do Gambá – Grupo Ambientalista da Bahia, que é signatário do documento. E postamos os nomes das entidades.

“Os signatários deste documento, cidadãos brasileiros que se interessam pelo bem público, pela cultura e pelo progresso de Salvador em bases sustentáveis e justas (…) vêm nesta Carta Manifesto comunicar às autoridades e relembrar ao povo sua profunda preocupação com a situação presente da Cidade e com as ameaças que pesam sobre ela”

“Já não é possível ocultar a violência do processo acelerado de degradação ambiental e de descaracterização de Salvador, carente de um efetivo planejamento urbano, de políticas sérias capazes de proteger-lhe o rico patrimônio histórico-cultural, de garantir a preservação de sua beleza e de suas reservas naturais, assim como o bem estar e a qualidade de vida dos seus cidadãos.”

“Denunciamos:

‘… a leviandade com que o espaço urbano está sendo manipulado e a injustiça social que esse descaso implica, pela segregação crescente das camadas mais pobres em guetos da cidade informal, privados de infra-estrutura digna e de serviços públicos adequados’

‘… a inoperância dos órgãos públicos responsáveis pela proteção da cidade’

‘…  ausência de um autêntico projeto sustentável para a Cidade, capaz de contemplá-la e a sua região metropolitana de maneira inteligente, sistêmica e democrática’

‘… o impacto da deterioração urbanística e da degradação do meio ambiente como fatores de incremento da violência desenfreada'”

“Alertamos para a ameaça de um colapso urbano que se anuncia gravemente ruinoso para Salvador…”

“Repudiamos a aberração em que se converteu o que deveria ser o PDDU – Plano Diretor do Desenvolvimento Urbano e Ambiental de Salvador, mutilado e distorcido a ponto de tornar-se um mero instrumento de manipulação da Cidade, franqueada assim ao jogo de interesses obscuros”  

Salvador –BA, 30 de setembro de 2008
Assinam essa Carta – Manifesto às seguintes Instituições:

ABA – Associação Brasileira de Antropologia
ABCRN – Associação Baiana para Conservação dos Recursos Naturais
ABI – Associação Baiana de Imprensa
AEC/UNIFACS – Adjuntoria de Extensão Comunitária
AGENDA 21 ITAPUÃ AR –X
AMA – Amigos do Meio Ambiente
ANEAC – Associação Nacional dos Engenheiros e Arquitetos da Caixa
ASCAE – Associação Cultural Cabrália e Arte Ecológica
ASSOCIAÇÃO CULTURAL VIVA SALVADOR
CEB – Clube de Engenharia da Bahia
CEPESC – Centro de Pesquisa, Estudos e Serviço Cristão
CIAM – Grupo de Apoio à Cidadania Ambiental
CONAM – Confederação Nacional de Associações de Moradores
CUCA/UNE – Centro Universitário de Cultura e Arte
FABS – Federação das Associações de Bairro de Salvador
FAMEB – Federação das Associações de Moradores do Estado da Bahia
FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DA MATA ESCURA
FRATERNIDADE DE IGREJAS EVANGÉLICAS DO BRASIL
FUNDAÇÃO ONDA AZUL
FUNDAÇÃO VISCONDE DE CAIRÚ
GAMBÁ – Grupo Ambientalista da Bahia
GERMEN – Grupo de Defesa e Promoção Socioambiental
GRAU/UFBA – Grupo de Riscos Ambientais e Urbanos
GRUPO CULTURAL BAGUNÇAÇO
GRUPO HERMES
IAB – Instituto dos Arquitetos da Bahia
IAMBA – Instituto de Ação Ambiental da Bahia
IBAPE – Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias
IGREJA EVANGÉLICA ANTIOQUIA
JOGUE LIMPO
MANGUEZAL MEU QUINTAL
MSTS – Movimento dos Sem Teto de Salvador
NEPEA/UFBA – Núcleos de Estudos e Pesquisas em Educação Ambiental
ORGANISMO
SENGE-BA – Sindicato dos Engenheiros da Bahia
SINARQ – Sindicato dos Arquitetos da Bahia
SOCIEDADE SÃO JORGE DO ENGENHO VELHO
UFBA ECOLÓGICA
UNMP – União Nacional por Moradia Popular

Lost em Salvador

outubro 20, 2008

do blog Campo Minado
Viver em Salvador durante a administração do prefeito João Henrique é mais ou menos como morar na ilha de Lost. A gente se sente perdido, apesar de a cada dia surgirem pistas, indícios e rastros de que talvez alguém saiba no que vai dar o “trabalho” da prefeitura.
O que está por trás da insistente pintura de meio-fios que João Henrique tanto prioriza? Quem matou e qual o motivo da morte do servidor municipal Neylton dentro da secretaria de saúde? Para que servem os desativados corredores exclusivos para ônibus? E o metrô de Salvador? Quando fica pronto, quantos quilômetros ele vai ter? Alguém entende o trabalho da SET na organização do trânsito? Assim como na ilha de Lost, a resposta só quem sabe são “Os outros”. Mas quem são “Os outros”?
Uma pista pode estar num fato ocorrido no dia 2 de julho. No desfile em comemoração à Independência da Bahia, o prefeito foi impiedosamente vaiado. Perguntado como ele reagia aos apupos ele disse: “As vaias não são pra mim”. E pra quem seriam? Certamente para “Os outros”.
Acabo de ler no jornal A TARDE uma matéria onde o nosso alcaide se defende das críticas de que a orla de Salvador está abandonada. As desculpas do prefeito são absolutamente loucas ou talvez, como na ilha de Lost, exista alguma lógica misteriosa por trás delas. Vamos aos fatos:
Sobre as calçadas destruídas, ele disse que a culpa é do carnaval, com seus camarotes. Acontece que as calçadas estão destruídas em vários trechos fora do circuito da festa. E aí?
Sobre o entulho decorrente da demolição das barracas de praia, o prefeito disse textualmente o seguinte: “A justiça determinou que não haja demolição dos escombros”. Como assim, prefeito? A prefeitura queria demolir escombros? Não seriam os escombros o resultado de algo já demolido? Talvez se o senhor quisesse remover os escombros, a justiça permitisse.
Sobre as balaustradas e escadas destruídas, o prefeito culpou o aquecimento global, que agora é o culpado oficial de quase tudo no mundo, e sobre o PDDU, Plano de Diretor de Desenvolvimento Urbano, o prefeito disse que a culpa é dos ex-prefeitos, desde Tomé de Souza até hoje, e que ele fez mais de 60 assembléias, embora não tenha decidido nada mesmo assim. É a consagração do assembleísmo como sinônimo de eficiência administrativa, certamente inspirado nos lendários “Grupos de trabalho” do ex-ministro José Dirceu ou no antológico Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do presidente Lula, que passou 4 anos reunido e não chegou a nenhuma conclusão sobre nada a não ser sua própria inutilidade.
Com um prefeito desses, a gente tem que se sentir como náufragos mesmo. Estamos num mato sem cachorro e a cidade estava entregue às baratas. Digo estava porque há alguns meses o prefeito trocou de partido e agora a situação piorou. Ao invés de entregue às baratas, a cidade foi entregue ao PMDB baiano, o que é bem pior.
E sabe de quem é a culpa de tudo isso? Dos “outros”, é claro.

outubro 20, 2008

Já se esuqeceram disso?

Já se esqueceram disso?

À Beira da Loucura

outubro 20, 2008

Este texto está como comentário no primeiro post feito aqui no blog. Foi retirado de http://www.re-bo-lina.blogspot.com.

“À Beira da Loucura

Depois do Big Brother Bairro, do Movimento dos Sem Pier, da propaganda das Havaianas onde “o Brasil NÃO TEM PROBLEMAS, MEU VELHO” (frase dita por um brasileiro, negro), dos vários banhos dados em Salvador por João Henrique, exceto banhos de saúde de qualidade, segurança, paz, sistema de transporte organizado e educação que se preze, da “vida é dura prá quem é mole” e da quase reeleição desse imbecil que no momento assume a prefeitura da minha – não sei até quando – amada cidade, vos digo, meus queridos: tenho medo, morro de medo do futuro do meu Brasil, temo que o país – quase não mais – verde, amarelo e azul torne-se de vez cinza. Meus queridos, por um milagre, com certeza por um milagre, não estou à beira da loucura.”

EU TAMBÉM.

Negligência com a Cultura

outubro 20, 2008

Além de não tratar a cidade como fenômeno cultural, a Prefeitura Municipal de Salvador tem investido muito pouco na cultura. A prefeitura dispõe de apenas sete equipamentos culturais, quase todos concentrados no centro da cidade. Temos apenas duas bibliotecas públicas municipais. Não possuímos nenhum centro cultural, em sentido rigoroso. Não temos uma secretaria municipal de cultura. O orçamento dedicado à cultura é muito reduzido. Nosso carnaval é organizado pela empresa municipal de turismo. Salvador ainda não possui seus conselhos municipais de Cultura; de Comunicação e de Ciência, Tecnologia e Inovação. Enfim, hoje a PMS é totalmente negligente no campo cultural.

Precisamos dar um basta a esta triste situação. A cultura tem que ser uma das prioridades da nova gestão de Salvador. Ela tem de potencializar nosso rico patrimônio cultural, material e imaterial; democratizar a cultura; estimular a criatividade e melhorar a qualidade de vida de nossa população.

(recortado de manifesto de profissionais do campo cultural)

ESTE É APENAS MAIS UM RETRATO DA FORMA IRRESPONSÁVEL COMO JOÃO HENRIQUE ADMINISTRA A CIDADE. É ISSO QUE VOCÊ QUER?

Acorda, meu povo!

outubro 16, 2008

Não me convenço com meia dúzia de obras eleitoreiras; não me engano com banho de luz nem de asfalto; não quero mais quatro anos de atraso e irresponsabilidades com a minha cidade!

 

EU NÃO QUERO UM PREFEITO QUE SÓ TRABALHA QUATRO MESES ANTES DAS ELEIÇÕES!

 

PRA MIM, CHEGA!

 

JOÃO, DE NOVO, NÃO!!!